Seja bem-vindo ao Elle Fanning Brasil, a sua maior e melhor fonte brasileira sobre a atriz e modelo no Brasil. Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Somos um site sem fins lucrativos criado e mantido por fãs. Todo o conteúdo original aqui apresentado pertence ao site a não ser que seja informado o contrário.

<
11.06.2021

Todos no mundo da moda estão de olho em Elle Fanning

post por: admin

Eu estou andando atrás de Elle Fanning em direção ao L.A’s Chateau Marmont — não de uma forma medonha — e a primeira coisa que percebo é o quão perfeitamente, bem, “Elle Fanning” ela é. Ela está vestindo um mini vestido pastel xadrez fofo e sandálias Gucci, e seu cabelo está preso em um topete. O look completo é finalizado por um par de brincos vintage com pingentes de margarida. Ela também está 10 minutos adiantada. O que é tão atraente em
Fanning — além de margaridas e pontualidade — é a sua franqueza, particularidade que ela irradia aonde quer que vá. Um desejo genuíno de experimentar coisas, de atuar, de se lançar ao mundo. E, claro, o seu apreço exuberante pela moda é o motivo de ela estar na capa desta edição de Best Dressed. Fanning já vestiu vestidos de baile de princesa (que ela também usará em Maleficent Mistress of Evil, divulgado este mês), peças da brilhante Rodarte, e também da artística Miu Miu, porém a sua glória final foi um renovado Dior New Look no Festival de Cinema de Cannes em maio. Em Fanning, porém, todo visual é novo.

LAURA BROWN: Elle, você se joga de cabeça em tudo o que faz. Eu lembro que você chegou ao InStyle Awards em 2017 em um vestido Versace, rindo como se você tivesse 6 anos de idade.

ELLE FANNING: [Rindo] Oh meu Deus, eu odiava profundamente a franja falsa que eu estava usando naquela noite. Mas, hey, aquela era a fantasia! Era uma estampa Warhol de Marilyn Monroe, e eu a amava tanto, então, obviamente, vesti aquele vestido.

LB: Parece que esse sentimento de “Eu irei presenciar essa experiência” é algo que a governa.

EF: Sim, eu sempre fui uma pessoa curiosa e arteira. Quando eu assistia Friends, eu adorava Phoebe. Eu amava o quão desajeitada ela era. Também passei por uma fase realmente esquisita. Eu cresci 30 centímetros em um ano, e não queria ser como as outras pessoas da minha escola. Considero que eu possuía certa confiança que me permitia ser assim: “Quero que você tire sarro de mim porque isso me faz sentir bem.”

LB: Ah, o velho “Agora sou uma deusa: desajeitada e estranha.”

EF: Exatamente! Existe um toque de contos de fadas nisso, então sempre foi algo presente em mim. E, bem, eu já estava gravando filmes.

LB: Você teve a oportunidade de estudar em uma escola com muitos artistas?

EF: Eu estudei em Campbell Hall, que fica no Valley [em San Fernando]. Porém, fui educada em casa até a terceira série. Então, a minha mãe entendeu que, “Ok, você precisa conviver com outras crianças” [Risos]. Eu fui para a quarta série, e ali fiquei até o terceiro ano. Eu fui a todos os meus bailes de formatura.

LB: O que você vestiu nos seus bailes de formatura?

EF: O primeiro baile aconteceu no nono ano. Eu escolhi um vestido branco da Ralph Lauren que encontrei no shopping. Era longo e fluido, com um decote em V. Para o segundo baile eu fui ao Paper Bag Princess [em L.A.] e comprei um vestido vintage John Galliano rosa com corte enviesado.

LB: Você usou um Galliano no seu segundo baile de formatura! Isso é bem avançado.

EF: Oh, sim! Eu não o vesti desde então. Eu deveria, talvez, para o red carpet. Você sabe, eu sempre fui interessada em moda. Eu amo me vestir e brincar com personagens diferentes. Minha irmã Dakota e eu, quando éramos pequenas, costumávamos criar cenas apenas uma para a outra. Muito Miranda Priestly de O Diabo veste Prada, e muitos trabalhos de escritório.

LB: Oh. O seu trabalho de secretária sempre esteve na moda?

EF: Pelo que me lembro, sim. A gente se vestia de uma certa maneira e depois colocava Coca-Cola em taças de vinho. Isso acontecia muito com a Dakota gritando comigo.

LB: Bem, é assim que é. [risos] Quem foram alguns de seus heróis de estilo quando criança?

EF: Eu amei Samantha de Bewitched. Eu colocaria um uniforme Brownie por algum motivo e faria chá. Isso era eu interpretando Samantha. Eu também adorei Alexa Chung e seu estilo moleca dos anos 60. Minha mãe me levava para a Cerimônia de Abertura [de lojas de roupas] o tempo todo. Isso foi muito significativo.

LB: Eu me lembro de ver você realmente usando peças da moda quando tinha apenas 16 anos.

EF: Sim, isso foi para o primeiro filme Malévola. Foi um momento muito importante porque envolveu uma grande turnê de imprensa. Foi quando aprendi a me expressar através das roupas.

LB: Além disso, quando você percebeu pela primeira vez que estava se tornando mais conhecida?

EF: Eu vi coisas acontecendo com minha irmã, então não foi completamente estranho para mim. As pessoas me confundiam com ela o tempo todo. Foi um alívio quando as pessoas me viram como eu mesma. Super 8 [escrito e dirigido por J.J. Abrams, 2011] foi um grande filme e fomos a alguns shows de premiação, e vivenciar tudo isso era extremamente novo. Eu também adoro ver celebridades. Eu não estou cansada disso.

LB: E audições?

EF: Oh, testes, eu não posso [fazer] – quero dizer, obviamente, claro, eu posso, mas eles me deixam tão nervosa. Eu desmaiei em um teste uma vez. O trabalho era com a Jessica Chastain. Eu não consegui o papel.

LB: Você literalmente caiu na frente das pessoas?

EF: Eu era bem novinha, mas, sim, caí na frente das pessoas. Foi muito estranho. Havia luzes fortes e eu me sentia tão quente. Eu desmaiei em Cannes este ano também. Desmaio é algo que acontece bastante comigo. Eu estava menstruada. Foi uma sensação tão louca. Sinceramente, aconteceu no melhor momento, porque eu não estava no tapete vermelho. Você pode imaginar? Isso teria sido meio épico, no entanto.

LB: Ela está tão bem vestida que caiu. Além disso, como foi fazer parte do grande júri em Cannes? Você arrasou no tapete vermelho.

EF: Eu estive lá o tempo todo, duas semanas. Foi intenso. Você também tem que assistir aos filmes e levar isso a sério. Cannes é o maior tapete vermelho do mundo e é o momento em que você pode puxar todos os obstáculos com as roupas. Minha estilista [Samantha McMillen] e eu não tínhamos muito tempo para planejar, provavelmente um mês. Fomos a designers diferentes e tive a ideia da Dior completa com o chapéu.

LB: Isso foi ideia sua?

EF: Sim! Foi uma das minhas coisas favoritas que usei. Adoro me sentir confiante com o que estou vestindo. Você percebe quando alguém é forçado a algo.

LB: Como foi entrar no show da Miu Miu no ano passado?

EF: Oh! Isso foi uma loucura! Eu estava muito nervosa. Não foi uma coisa planejada. Eu ia de qualquer maneira, e então a Sra. Prada teve essa ideia. Sua equipe disse: “Você está começando o show, então você tem que ser muito séria.” Todo o tema era rockabilly-grunge. Tentei manter uma cara séria, mas não era assim que eu me sentia. Eu estava tendo um colapso.

LB: Você é jovem e visível, então como você lida quando as pessoas lhe pedem para ser politicamente engajada publicamente?

EF: Às vezes eu sinto que não sei todas as informações. Tipo, estou qualificada para falar sobre isso? Mas também acho que as pessoas podem dizer que não sabem ou ainda não têm certeza. Angelina [Jolie] disse isso para mim depois de uma entrevista recente que fizemos para Malévola 2. Ela disse: “Quer saber? Tudo bem não responder às coisas. ” Quer dizer, ainda estou aprendendo.

LB: Você tem 21 agora. Qual foi sua primeira bebida oficial?

EF: Acho que foi um martini no Craig’s [em L.A.]. Eu adorei, exceto que eles não me deram minhas azeitonas. Eu amo azeitonas. Jantamos lá. Depois fomos ao karaokê em Koreatown e bebemos muito.

LB: Que orgulho. Quem estava lá e o que você vestiu?

EF: Eu usei um vestido da For Love & Lemons. Era de manga comprida e rosa com um coração. Dakota estava lá. Laura Mulleavy [designer da Rodarte] estava lá. [Diretora de cinema] Gia Coppola estava lá.

LB: Agora que você está envelhecendo, o que você ambiciona?

EF: Oh, cara, eu tenho ambições para muitas coisas. Eu amo programas de jogos e quero criar um. Tudo o que vejo é Game Show Network. Eu amo America Says, Idiotest, Chain Reaction, Family Feud. Eu não sei exatamente qual seria o meu show, mas eu realmente quero fazer isso. Eu quero dirigir algo, talvez cantar um álbum country. Eu amo Johnny Cash, então possivelmente poderia fazer um álbum de covers. E uma linha de roupas.

LB: Você também tem um contrato muito sofisticado da L’Oréal. Qual é a sua ideia de “valor”?

EF: Minha mãe, minha irmã, minha avó e eu, todas moramos juntas. Então, há um forte senso de empoderamento feminino que sempre tive em minha vida. É significativo saber que existem tantos tipos diferentes de mulheres. Eu odeio que para ser forte você tenha que ser assim ou para ser macio você tenha que ser assim. Esses estereótipos simplesmente não são verdadeiros. Meu valor é saber que posso ser qualquer coisa. Em Malévola eu interpreto uma princesa [Aurora] que é forte sendo completamente feminina e não se intimida por isso. É uma qualidade que também tenho. E, obviamente, esta versão é diferente da primeira. Não estou lutando com uma espada apenas para ser mais forte.

LB: Para ser digna.

EF: Sim, exatamente.

LB: Eu li que você é prima de Kate Middleton. Você interagiu ou entrou em contato com ela?

EF: Isso veio de alguém fazendo uma pesquisa no Ancestry.com sobre mim e minha irmã, mas não. [risos] Eu nunca conheci nenhum deles. Ela provavelmente nem sabe quem eu sou.

LB: Você é obcecada pela família real, como todo mundo parece ser?

EF: Estou muito em Londres, então sinto que estou por dentro e leio o Daily Mail. [risos]

LB: Clique na isca! Último. O que você aprendeu trabalhando com Angelina e Michelle [Pfeiffer] em Malévola 2?

EF: Quando soube que Michelle faria parte do filme, percebi que o segundo filme seria sobre poder. São cerca de três gerações de mulheres no poder e como elas o representam de maneiras diferentes. E, com Angelina, eu era tão jovem quando fiz o primeiro filme com ela. Eu estava muito nervosa então. Minha mãe estava comigo. Agora que cresci, ela me vê de uma maneira diferente. Conversamos sobre coisas diferentes. Fomos jogar paintball.

LB: Você é uma jogadora de paintball agressiva? E ela?

EF: Oh, ela é agressiva. [risos] Nós íamos sair porque os filhos dela estavam lá, então ela estava tentando agendar atividades nos finais de semana. Eu nunca tinha jogado paintball antes. Estávamos com uma armadura completa. Éramos as únicas pessoas no local, com todos os filhos dela. Ela e eu não fazíamos parte do mesmo time. Eu estava tão mal. Eu bati no pescoço do segurança e ele estava no meu time! [risos] Angelina é muito boa.

LB: Quer dizer, eu vi Salt. Ela é uma assassina treinada.

EF: Totalmente. Eu era boa em me esconder. Eu apenas me esconderia.

Entrevista original aqui.